Vendas de cimento em 2019 ultrapassaram os 40 milhões de toneladas

Início » Vendas de cimento em 2019 ultrapassaram os 40 milhões de toneladas

Em setembro, as vendas totalizaram 4,7 milhões de toneladas, aumento de 5,3% em comparação ao mesmo mês de 2018. No acumulado de 2019, o crescimento é de 3%

Na avaliação por dia útil, em setembro, as vendas internas cresceram 2,7% face a agosto e 0,7% sobre setembro do ano passado (Créditos: Stacy Ellen/ Shutterstock)

10/10/2019 | 15:58 – As vendas de cimento em setembro totalizaram 4,7 milhões de toneladas, o que corresponde a um aumento de 5,3% em comparação ao mesmo mês de 2018. No acumulado de 2019, o total de cimento comercializado chegou a 40,5 milhões de toneladas, um crescimento de 3% sobre igual período do ano passado. Os dados são de um levantamento feito pelo Sindicato Nacional da Indústria de Cimento (SNIC).

Em 12 meses, conforme a pesquisa, as vendas acumularam 53,8 milhões de toneladas de cimento, alta de de 2,8% em relação aos 12 meses precedentes (outubro de 2017 a setembro de 2018).

Na avaliação por dia útil – indicador que analisa o número de dias trabalhados –, em setembro, as vendas internas cresceram 2,7% face a agosto e 0,7% sobre setembro do ano passado. Em 2019, o crescimento acumulado foi de 2,5% em comparação a 2018.

Apesar dos resultados positivos, segundo o presidente do SNIC, Paulo Camillo Penna, é importante enfatizar que, em 2018, devido a greve dos caminhonieors, o setor deixou de comercialziar 900 mil toneladas de cimento, não conseguindo se recuperar no restante do ano.

“A forte desaceleração econômica registrada a partir de maio de 2018 também levou a um fraco desempenho no ano passado. Isto tem projetado para cima os resultados de 2019, o que acaba superestimando o crescimento de vendas da indústria”, afirma Penna.

Com relação ao consumo aparente de cimento – índice composto das vendas internas somadas às importações –, em setembro, o crescimento foi de 5,2% em relação ao ano anterior, totalizando 4,8 milhões de toneladas. No acumulado dos últimos 12 meses, o indicador subiu 2,6% sobre o mesmo período anterior.

 

Via: