5 incríveis dicas para gestão de máquinas e equipamentos na construção civil

Início » 5 incríveis dicas para gestão de máquinas e equipamentos na construção civil

Com a instabilidade financeira, as empresas precisam ser criativas para evitar o repasse de aumentos no preço para o consumidor. Uma das estratégias mais utilizadas é a redução dos custos, pois produzir gastando menos aumenta a margem de lucro e mantém os preços mais competitivos no mercado.

Mas como conseguir isso? O caminho passa por uma boa gestão de equipamentos pesados nas obras. As máquinas têm um impacto significativo no orçamento da construtora, por isso, a eficiência desse material pode trazer muita economia.

É um grande desafio, mas um gerenciamento eficaz aumenta a produtividade, evita desperdícios, reduz custos variáveis e diminui os tempos de parada na obra. Quer saber como otimizar a compra e o uso dos equipamentos na construção civil? Veja nossas dicas!

1. Conte com um bom fornecedor

O primeiro passo, sem dúvida, é ter bons fornecedores dos equipamentos e máquinas que você utiliza. Você precisa ter a certeza de que está adquirindo seus recursos com a melhor relação custo-benefício. Além de conseguir um bom preço, é necessário encontrar uma empresa que garanta produtos de qualidade.

Não se acomode com os fornecedores habituais. Realize pesquisas e analise as condições oferecidas por outros. Como o mercado é dinâmico, há sempre empresas buscando formas de se destacar e conquistar novos clientes. Com uma boa pesquisa, é possível conseguir descontos e melhores condições de compra.

Fechar parcerias com fornecedores também é uma estratégia para otimizar o processo de aquisição do maquinário para uma obra. Para construtoras com demanda maior, essa é uma maneira de ter condições ainda mais especiais. Por isso, não deixe de negociar.

2. Considere o aluguel de algumas máquinas

Uma gestão de equipamentos eficaz considera as particularidades de cada recurso utilizado. Alguns materiais são de uso contínuo e devem ser comprados, mas outros podem ser subutilizados nas obras, o que torna o aluguel mais atrativo do que a compra.

Para saber o que é mais econômico, devem ser considerados também os gastos com manutenção. No caso de máquinas que são utilizadas por muito tempo e em obras diversas, e cujo preço das manutenções não impacta o retorno financeiro do equipamento, a compra é a melhor opção.

Nos outros casos, o aluguel deve ser considerado. Analise as necessidades das construções e identifique gastos que podem ser minimizados. Equipamentos que serão utilizados apenas em uma obra ou que ficarão parados por longo tempo podem não ser uma boa aquisição.

3. Treine os funcionários para o uso correto das máquinas

Por incrível que pareça, alguns custos com equipamentos são consequências da utilização errada. Assim, realizar treinamentos para que os funcionários saibam lidar corretamente com as máquinas é fundamental para mantê-las em boas condições e evitar gastos desnecessários.

O maquinário é composto por equipamentos pesados e de alto custo. Além disso, são materiais essenciais para a realização das obras — um problema com eles significa prejuízo financeiro e atraso no cronograma. Assim, é indispensável que todos que lidem com as máquinas sejam treinados e tenham o conhecimento necessário.

O cuidado em relação aos equipamentos e à racionalização dos recursos deve ser uma cultura na empresa. Ações nesse sentido podem gerar um impacto significativo no orçamento das obras. Afinal, diminuir o desperdício de materiais e prevenir manutenções corretivas são ótimas formas de economizar.

4. Realize a manutenção preventiva

Cada equipamento tem uma vida útil, mas para chegar até ela são necessários alguns cuidados frequentes. A manutenção preventiva é responsável por conservar as boas condições e evitar problemas que exijam consertos.

É importante que você saiba que o preço de aquisição da máquina não é o único custo dela. Os gastos com manutenções devem ser adicionados nessa equação. Todo equipamento precisa de alguns cuidados, como colocar óleo lubrificante ou trocar peças pequenas que se desgastam mais rápido.

Conhecer a máquina e consultar o manual do fabricante com frequência é essencial se você quiser que ela trabalhe com o máximo de produtividade. Além disso, tenha um profissional de confiança para avaliar o estado dos equipamentos e realizar a manutenção.

5. Utilize a tecnologia na gestão de equipamentos

Vivemos uma época em que, para cada desafio que enfrentamos, há diversas soluções tecnológicas disponíveis. Na construção civil não é diferente! Alguns softwares, e até mesmo aplicativos de celular, prometem facilitar o gerenciamento das obras.

Você cadastra diversas informações sobre a construção, e esses programas gerenciam os dados, gerando gráficos, planilhas e relatórios que alimentam a sua gestão. Dessa forma, fica mais fácil analisar os processos e rever caminhos — e colocar todas as informações importantes em um mesmo lugar aperfeiçoa o seu trabalho.

É possível, também, automatizar toda a gestão. Se você não encontrar um software completo para a sua empresa, pode contratar um programador e encomendar um programa específico para as suas necessidades — esse é um investimento que vale a pena.

6. Use o consórcio para manter o maquinário atualizado

Sabemos que o valor de compra de uma máquina causa um grande impacto no orçamento da empresa. Assim, o ideal é programar as aquisições na sua gestão de equipamentos. É possível investir um valor mensal para atualização dos equipamentos, o que é mais viável e econômico do que dispor de uma alta quantia no momento da compra.

Nem sempre temos certeza de quando um equipamento precisará ser substituído. Mesmo que ele tenha uma vida útil prevista, pode acontecer de durar mais ou menos tempo. Com o consórcio, é possível se planejar considerando essa particularidade. Você vai pagar parcelas que cabem no orçamento da empresa e, quando for necessário, pode dar um lance para ser contemplado e adquirir uma máquina nova.

A utilização do consórcio para empresas é estratégica no gerenciamento da obra, garantindo que você não seja pego desprevenido pela necessidade de substituição de equipamentos. Essa é uma atitude de prevenção, evitando que grandes gastos sejam realizados de uma vez só. Pagando as mensalidades de um consórcio, você está constantemente investindo na atualização do maquinário.

A gestão de equipamentos é uma das atividades mais estratégicas das empresas, principalmente em épocas de crise econômica e aumento de preços. Gerenciando de forma eficiente, você economiza e garante a sua margem de lucros sem precisar repassar preços para o consumidor.