Dicas de como operar um Guindaste

Início » Dicas de como operar um Guindaste
Dicas de como operar um Guindaste

Os operadores de guindastes não são brincadeira. Os proprietários de guindastes estão cada vez mais conscientes da necessidade de treinar seus operadores para garantir maior segurança e manter a integridade da carga, trabalhadores qualificados e outros bens que podem ser usados ​​em caso de acidente.

1. O conhecimento da carga e de seu peso, dimensões, pontos de içamento, entre outras medidas. Informações como essas são fundamentais para uma operação segura e sem riscos.

2. O local da movimentação, ou seja, onde se encontra e para onde será movimentada a carga na operação.

3. Analisar e escolher com muita atenção, o local onde se posicionará o equipamento com guindaste (qualidade / compactação do solo / existência de galerias subterrâneas / entre outros), para um distribuição uniforme dos pontos de apoio que distribuem o peso do guindaste e da carga sobre as sapatas estabilizadoras.

4. A escolha do guindaste e sua respectiva integração veicular devem estar adequadas para a carga a ser movimentada.

5. O operador do guindaste deverá estar capacitado e com total conhecimento das reações do conjunto guindaste + caminhão.

6. O guindaste deve estar equipado com dispositivo de segurança para inibir/limitar sua operação fora do gráfico de cargas.

7. A integração veicular do guindaste com o caminhão deve possuir um projeto, no qual deverá ser executado e assinado por um engenheiro habilitado, assim como obedecer as leis vigentes, tanto dimensional quanto de distribuição de carga sobre os eixos (“Lei da Balança”).

8. Os materiais e demais acessórios do sobre-chassi, que fazem parte da integração veicular, devem ser escolhidos com base em um estudo de estabilidade do conjunto caminhão + guindaste.

9. Abrir completamente os braços estabilizadores do guindaste e travá-los antes de iniciar a operação de içamento da carga.

10. Os suportes sobre os quais as sapatas estabilizadoras estarão apoiadas deverão estar aptos e adequados para suportar a carga e distribuí-la igualmente sobre o solo.

11. Os freios de estacionamento do veículo devem ser acionados. O contato dos pneus com o solo, no caso de guindastes articulados, é mandatório para garantir a estabilidade do conjunto.

12. Os suportes/equipamentos para suspensão da carga devem estar em perfeitas condições de uso.

13. Os movimentos do guindaste durante as operações elevação/abaixamento da carga não devem ser bruscos.

14. Exija de seu fornecedor de guindastes, estudos de estabilidade e distribuição de cargas sobre os eixos de seu caminhão e confronte este estudo com a instalação realizada pela empresa responsável pela integração veicular.

Estas são dicas simples, mas que fazem toda a diferença e garantem a segurança dos profissionais, da empresa, cliente, material e tudo que estiver envolvido no processo. Repetí-las sempre é essencial para um trabalho de qualidade e bons resultados.

Via: Guia do TRC

Open chat
Precisa de ajuda? Fale conosco!