Operação de máquinas pesadas requer capacitação e planejamento

Início » Operação de máquinas pesadas requer capacitação e planejamento
Operação de máquinas pesadas requer capacitação e planejamento

Durante bastante tempo, medidas de segurança e o planejamento relacionado à questão de capacitação do operador de máquinas pesadas eram itens secundários, quase que dispensáveis no âmbito da construção civil. De tempos para cá, no entanto, esse assunto ganhou um forte destaque – o que se deve ao fato de certos acontecimentos vieram a evidenciar de forma muito negativa o setor da construção.

Apesar do fato de as estatísticas relativas a mortes em acidentes em canteiros de construção não terem alto nível de confiabilidade, sabe-se com segurança que a esmagadora maioria desses acidentes ocorrem por falha humana.

Algumas empresas chegam a buscar normas estrangeiras (ou até mesmo criam suas próprias) para atender operações complexas relacionadas a esse tópico. Isso acontece devido à carência de regulamentação e atualização de procedimentos técnicos relacionados. A produtividade nas obras, dessa maneira, pode ser afetada de forma dramática, elevando o risco de acidentes que envolvem operadores de máquinas pesadas.

A quantidade de obras e projetos que vem surgindo para os próximos anos tem se multiplicado à medida que o tempo avança – o que, por sua vez, tende a  gerar uma forte pressão no segmento para que haja um maior investimento na formação de pessoal capacitado e, assim, conseguir suprir a carência existente relativa aos programas educacionais do Brasil para a formação de uma nova geração de operadores de máquinas pesadas.

Embora não seja exigido um elevado grau de escolaridade para que um indivíduo comece a atuar como operador, ter em seu currículo uma formação acadêmica na linha de engenharia mecânica, civil ou em alguma outra área correlacionada faz uma grande diferença para a pessoa em questão nos processos de recrutamento.

A demanda de operadores tem crescido bastante de tempos para cá: nos últimos dez anos, mais de cinquenta mil operadores são necessários todos os anos para o mercado – fonte: Instituto Opus (programa da Associação Brasileira de Tecnologia para Equipamentos e Manutenção – Sobratema – cujo objetivo é a formação, capacitação e certificação de operadores de equipamentos pesados para a construção civil).

A falta de especialização da mão de obra na área tem refletido também na remuneração, altamente variável, do profissional da área: a oscilação vai de 1.000 a 25.000 reais mensais. São diversos os fatores que influenciam para que esses valores sejam tão desiguais (além da questão da capacitação). Entre eles, podemos listar: o ambiente onde o trabalho será desempenhado, o tipo de máquina pesada, o tempo exigido para execução da operação, a empresa contratante, entre vários outros.

Embora os cursos profissionalizantes para operadores de máquinas pesadas não tenham exatamente os preços mais atrativos (alguns deles chegam a custar cerca de 3000 reais), a capacitação é um grande diferencial para o indivíduo que pretende atuar na área e se posicionar no mercado. Muitas vezes, empresas contratam operadores sem especialização pelo simples fato de não terem aplicações por parte de profissionais certificados.

Por fim, a especialização para operadores de máquinas pesadas é muito importante não só por uma questão de posicionamento no mercado – mas sobretudo para garantir a segurança do indivíduo e de seus colegas no ambiente de trabalho.